Antes de formar uma carteira de ações, é preciso estar atento e tomar alguns cuidados, como manter os fatores emocionais longe da tomada de decisão e conhecer mais a fundo a empresa da qual se pretende ser “sócio”. Confira as dicas do neurocirurgião e especialista em finanças pessoais e investimentos, Francinaldo Gomes:

  1. Escolha empresas com bom nível de governança corporativa
    Empresas transparentes, que se submetem à auditoria externa independente e ampliam os direitos aos acionistas, por exemplo, demonstram ter uma diretoria séria e honesta
  2. Compare os dados por um período de pelo menos cinco anos
    Uma empresa que apresenta bom desempenho nos últimos cinco anos tem mais chances de continuar tendo bom desempenho nos períodos seguintes
  3. Rebalanceie a carteira de ações
    A carteira deve ser revista e rebalanceada periodicamente para avaliar a permanência ou a troca de ações. Isto pode ser feito junto com o rebalanceamento da carteira de investimentos, no mês de aniversário.
  4. Proteja a carteira de ações
    Assim como a proteção do patrimônio, a carteira de ações deve ser protegida das oscilações do mercado. Isto é feito por meio da venda de opções
  5. Estabeleça e siga critérios para se tornar sócio
    Até mesmo os profissionais de mercado não conseguem analisar todas as variáveis envolvidas na tomada de decisão sobre a compra ou a venda de ações de uma determinada empresa. Portanto, é preciso estabelecer critérios que tornem o processo de tomada de decisão mais fácil e que, acima de tudo, desconsiderem o fator emocional.