Ao contrário do que possa parecer, para avaliar corretamente uma empresa, não é preciso ser um expert em matemática ou em contabilidade. Se isto fosse necessário, os contadores e matemáticos seriam os profissionais mais ricos do mercado. Mas existem alguns critérios simples que permitem, a qualquer investidor, saber se uma empresa é ou não adequada para ser sócio.

As ferramentas de análise

As ferramentas de análise são as demonstrações financeiras publicadas semestralmente ou anualmente pelas empresas, seguindo normas técnicas pré-estabelecidas. Elas podem ser acessadas no site das empresas, no site da BM&F Bovespa ou mesmo em sites de finanças. Em geral, as informações são compiladas para facilitar a visualização e a análise. No entanto, é importante saber a origem dos dados e também o significado deles para tomar a melhor decisão. São três as demonstrações financeiras que devem constar nos relatórios:

  1. Balanço patrimonial (BP)
    Representa uma espécie de fotografia do patrimônio da empresa em um período de tempo (normalmente um ano). O BP informa quanto a empresa tem de ativo, quanto tem de passivo e qual o patrimônio líquido, ou seja, quanto ela vale.

    O significado dos ativos
    Ativo circulante: os valores a serem recebidos em até 12 meses
    Ativo não circulante: os valores a serem recebidos em mais de 12 meses
    Ativo imobilizado: a estrutura física e o maquinário necessário para as atividades operacionais
    Ativo intangível: marca, patente, capacidade de inovação, investimentos em
    pesquisa e desenvolvimento, modelo de negócios. Ou seja, ativos que não são palpáveis, mas que agregam valor à empresa

    O significado dos passivos
    Passivo circulante: dívidas a serem pagas em até 12 meses
    Passivo não circulante: dívidas a serem pagas em mais de 12 meses

  2. Demonstração do Resultado no Exercício (DRE)
    A DRE mostra a capacidade que a empresa tem de gerar receita a partir dos serviços prestados ou dos produtos vendidos e o quanto gastou para prestar os serviços, incluindo tributos. Por fim, ela mostra se o resultado foi positivo ou negativo. Da mesma forma que o BP, a DRE deve conter sempre os dados do ano anterior para fins de comparação.
  3. Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)
    Partindo do lucro líquido, mostra a movimentação do dinheiro dentro do caixa da empresa, ou seja, a quantia em dinheiro que sobra após serem pagas todas as contas.

Quer saber mais sobre o mercado de ações e sobre como conquistar a tão sonhada independência financeira? Acompanhe o nosso blog: http://saudemaisacao.com.br/blog .