Tão importante quanto cuidar das finanças pessoais, é cuidar da saúde financeira do consultório. E por uma razão muito simples: é de lá que vem renda. Houve uma época em que o profissional da saúde preocupava-se apenas em exercer a sua função da melhor forma possível para ter sucesso profissional. Só que a concorrência aumentou e os lucros diminuíram. Surgiram as operadoras de saúde, o paciente particular praticamente desapareceu e o consumidor passou a ter seus direitos regulamentados.

Com esses acontecimentos, os médicos, dentistas, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros, além de terem que exercer suas atividades com excelência, dedicação e amor, se veem agora também no papel de empresários. Os consultórios transformaram-se em empresas de saúde com fins lucrativos, que devem observar as leis trabalhistas (CLT) e as convenções coletivas dos respectivos sindicatos. Muitos profissionais da saúde não têm conhecimento sobre o controle financeiro do consultório e, diante de uma economia tão inconstante, a gestão financeira adequada tem se mostrado essencial para que sobrevivam diante de uma concorrência tão acirrada.

Eis, aqui, quatro motivos para você não descuidar da saúde do seu consultório:

  1. Melhores resultados financeiros. O consultório é uma empresa e possui funcionários, equipamentos e a obrigação de pagar tributos. Como toda empresa, o objetivo principal é obter lucro para financiar suas atividades. Portanto, uma boa gestão irá otimizar o uso dos recursos e assim, culminar em melhores rendimentos.
  2. Ganhos sem comprometer a qualidade de vida. É comum pensar que para obter lucros maiores é preciso trabalhar mais, dormir menos e abdicar dos momentos de lazer com a família. Uma boa gestão financeira do consultório permitirá um melhor aproveitamento dos recursos já existentes e, portanto, a obtenção de lucros maiores mantendo, ou até mesmo melhorando, a qualidade de vida.
  3. Crescimento profissional. Com uma boa gestão financeira, é possível ganhar tempo e utilizá-lo para o crescimento profissional. Realizar cursos, pós-graduação, aprendizado de novas técnicas e marketing. Com o crescimento profissional, será possível buscar remuneração diferenciada e, assim, aumentar ainda mais o retorno sobre as atividades.
  4. Competitividade. Diante de concorrência cada vez mais acirrada, é preciso manter-se competitivo no mercado de trabalho e tornar-se auto-sustentável ao longo do tempo para usufruir do patrimônio no futuro. Com uma boa gestão financeira, é possível manter a competitividade e a sustentabilidade mesmo em períodos economicamente desfavoráveis.

Quer saber mais sobre como conquistar a tão sonhada independência financeira? Confira outros artigos no blog: saudemaisacao.com.br/blog.