Todo paciente sabe que toma tempo ficar procurando um profissional e ligando em consultórios para encontrar agenda – e todo paciente também com certeza já esqueceu da consulta algum dia. Todo médico, por outro lado, sabe o contratempo que é o chamado absenteísmo.

Sabendo disso, muitos consultórios e clínicas já começaram a oferecer sistemas próprios alternativos para agendamento e confirmação de consulta. Pode ser por e-mail, site, aplicativo… Mesmo assim, ter o aplicativo ou o e-mail de cada clínica ainda não é a solução definitiva.

Foi com isso em mente que dois comerciantes resolveram criar o Consulta Já, aplicativo lançado em abril que visa reunir diversos consultórios em sua plataforma. Com isso, permite a seleção, agendamento e cancelamento da consulta em um clique e envia as notificações e imediatamente ao estabelecimento.

O programa ajuda também no remanejamento de encaixes: para os pacientes, avisa quando abrem horários vagos; para as clínicas, busca os pacientes na fila a quem sugerir os horários abertos. E – é claro – envia lembretes da data marcada ao paciente para que ele não se esqueça delas nunca mais.

O custo da falta
Em uma reportagem da Pequenas Empresas, Grandes Negócios, os criadores da startup contaram que entre 20% e 40% das consultas agendadas nunca chegam a acontecer, segundo pesquisas de mercado que fizeram.

Um outro levantamento, feito pelo jornal Diário Catarinense, constatou que o prejuízo com consultas não realizadas na rede pública de Santa Catarina chegou a R$ 13,4 milhões em 2016. Nos piores casos – como o de exames auditivos – o absenteísmo chega a 66% dos agendamentos.

Como funciona

O Consulta Já pode ser administrado pelo celular ou pela internet – www.consultaja.com. Na versão dos pacientes, o aplicativo é gratuito e está disponível para download para Android e iOS.

Para os médicos, embute a plataforma de gestão e tem assinaturas que vão de R$ 49,90 a R$ 149,90 por mês. Índices muito menores de faltas, preenchimento dos horários vagos e redução de telefonemas são algumas das vantagens vendidas pelo produto.

Como é ainda um serviço muito jovem no mercado, é difícil ter uma avaliação. Mas as apostas nele são grandes. O projeto foi selecionado em 2015 para ser incubado na e Supera, incubadora de Ribeirão Preto parceira da USP avaliada como uma das melhores da América do Sul. Em 2016, recebeu R$ 1 milhão de investimentos de uma empresa de equipamentos odontológicos.

Quer outras dicas de gestão em saúde? Acompanhe as notícias de finanças pessoais no blog da Saúde + Ação: saudemaisacao.com.br/blog