Blog
  • Home
  • Blog
  • Como escolher as melhores ações para investir?

Como escolher as melhores ações para investir?

Como escolher as melhores ações para investir?

O mundo da bolsa de valores pode parecer um pouco assustador em um primeiro momento, mas saiba que boa parte do que acontece lá não é um bicho de sete cabeças e que há espaço para todos os tipos de investidores. Existem oportunidades de investimentos tanto para investidores conservadores quanto para os que gostam de arriscar. Contudo, uma coisa é de praxe para todos eles, investidores precisam de conhecimento para escolher as melhores ações. E esta escolha é determinada, principalmente, pela estratégia de investimento adotada.

Pensando nisso, nós resolvemos separar o que é preciso para analisar essas opções no mercado. Confira.

Como escolher as melhores ações do mercado?

Existem muitos fatores que devem ser considerados na hora de escolher qual é a melhor ação para o seu objetivo. Considerando que seu objetivo seja comprar ações de boas empresas e ficar com elas, usufruindo de parte do lucro da empresa distribuído periodicamente (Buy & Hold), a saúde da empresa, os fatores externos e o preço em que o papel está sendo negociado são os fatores mais importantes. Embora nem todos concordem que o preço do papel seja importante, há autores que consideram que comprar ações de empresas boas, com desconto, ajude a alavancar os ganhos.

O primeiro tem a ver com o desempenho da empresa, se ela está lucrando, como estão as suas relações de comando, etc. O segundo, está relacionado com o cenário macroeconômico, isto é, o que está acontecendo fora do mundo da bolsa, como está o mercado global, a situação política e como isso influencia a economia, e o último, é sobre a ação, ela está valorizada? O preço é justo? Etc.

Esses são pontos importantes e que precisam estar equilibrados na hora de decidir comprar ou não uma ação.  Principalmente, se o objetivo é permanecer com os papéis por longo tempo (Position Trade e Buy & Hold).

Além disso, em relação ao primeiro ponto, é importante que a empresa mostre boa saúde financeira, o que dará mais garantias de que a mesma continuará lucrando mesmo em cenários de crises e incertezas. Com isso, o acionista continuará a receber parte deste lucro na forma de dividendos, independentemente do preço da ação no mercado. Ressaltamos que os dividendos são proporcionais ao número de ações e também são isentos do pagamento de imposto de renda.

Outro aspecto importante é o comportamento do preço da ação. O investidor não deve se assustar com as flutuações, pois isso faz parte. Isso significa que você precisa ser esperto o suficiente para encarar os momentos de queda de um papel não como um grande problema mas sim como uma grande oportunidade de comprar ações de boas empresas a preço baixo, aumentando ainda mais sua carteira de ações.

Também procure observar como as ações das empresas do seu interesse se comportam, veja se, apesar da queda no preço, a empresa continua lucrativa. Este é um bom parâmetro, pois indica que a companhia tem solidez no mercado. Por outro lado, caso tenham queda constante, porém, a empresa está com um bom desempenho no mercado, é uma boa oportunidade para comprar seus papéis por um bom preço.

Se, mesmo com esses três fatores, você ainda não se sentir seguro, utilize critérios objetivos para avaliar se uma empresa é boa ou não para ser sócio. Existem muitos critérios usados no mercado, mas cinco critérios são suficientes para escolher boas empresas e, principalmente, fugir das empresas ruins. São eles:

1. Nível de governança corporativa. Empresas pertencentes, no mínimo ao Nível 1 já são consideradas boas para ser sócio. Quanto mais alto o nível de governança (Nível 2 e Novo Mercado), melhor será a empresa.

2. Liderança e Margem. Empresas com retorno sobre no patrimônio líquido acima de 15% ao ano e margem líquida acima de 10% ao ano são empresas líderes de mercado e que apresentam ampla margem para superarem períodos de crises.

3. Análise de Desempenho. Empresas que conseguem crescimento de vendas e crescimento do lucro acima de 5% ao ano também são boas para ser sócio.

4. Perfil de Endividamento. Toda empresa tem dívidas em algum grau. Entretanto, as dívidas precisam estar sob controle para não comprometerem o desempenho da empresa. Empresas com Índice de Liquidez Corrente acima de 1 apresentam boa capacidade de pagar as dívidas de curto prazo; empresas com Índice de Solvência inferior a 50% apresentam capacidade de pagar as dívidas de longo prazo.

5. Fluxo de Caixa Livre. Empresas que apresentam dinheiro em caixa ao final de cada ano tem reservas para investir nelas mesmas e também para distribuirem aos acionistas.

Uma empresa que preencha três destes cinco critérios é considerada boa para ser sócio, uma vez que raramente existirá uma empresa perfeita (que preenche todos os critérios) já que empresas são geridas por seres humanos.

No app Saúde Investimentos (disponível na Apple Store e Google Play) ou no site www.saudeinvestimentos.com.br você poderá ver como analisar estes critérios de forma bem objetiva e, desta forma, poderá escolher com muita facilidade as empresas para ser sócio.

Uma vez escolhida uma ou mais empresa para ser sócio, é preciso acompanhar anualmente o desempenho desta empresa pois, uma empresa que esteja boa hoje poderá não estar boa no futuro e você deverá saber a hora certa de se desfazer dela caso ela deixe de ser boa.

Alguns exemplos de boas empresas para investir.

Para que você possa ter uma ideia de quais ações do mercado brasileiro são uma boa opção para investimento, nós resolvemos separar alguns exemplos de papéis de diferentes setores que estão no mercado e que servem para diferentes tipos de investidores. A seguir acompanhe 4 para o seu conhecimento. Confira!

  • QUAL3: Aqui é um bom exemplo de um papel onde o valor estava baixo e de repente teve uma valorização surpreendente. Associada a uma das maiores administradoras de planos de saúde do país, a Qualicorp. As ações QUAL3 tiveram um aumento de 50% no primeiro semestre de 2017. Esta empresa preenche quatro dos cinco critérios fundamentalistas descritos acima.
  • WEGE3: Representando uma empresa mais conservadora, a companhia WEG é uma ótima opção para aqueles que não querem arriscar muito. Ela é uma das empresas especializadas em fabricação de eletrodoméstico com alcance mundial, contudo, infelizmente o preço de suas ações não são tão acessíveis e, também, ela não é uma das gigantes do ramo, mas sempre traz bons resultados anuais. As ações não costumam ter muitas oscilações. Esta empresa preenche quatro dos cinco critérios fundamentalistas descritos acima.
  • LREN3: Criada em 1922, as lojas Renner são uma rede de roupas e acessórios bastante conhecida no país e que possui um valor de R$ 16,843 bilhões. Os seus papéis, LREN3, são uma boa pedida se o objetivo é fazer aplicações em uma empresa de grande porte e que as chances de faturamento são garantidas. Esta empresa preenche três dos cinco critérios fundamentalistas descritos acima.
  • ITUB4: Esse papel está relacionado ao Banco Itaú e representa uma das ações mais interessantes do mercado. Não apenas por estar ligada a um banco, como também por essa instituição ser uma das mais lucrativas e ser o maior instituição privada do país, com ativos que valem 1,426 trilhão. Se observar que seus ativos estão com um bom preço, não perca tempo e adquira uma ação dessa empresa. Esta empresa preenche quatro dos cinco critérios fundamentalistas descritos acima.

Conclusão

Como deu para perceber, investir na bolsa de valores não é algo extremamente complicado ou impossível de se fazer. Contudo, sabemos que pode ser difícil dar o ponta pé inicial, já que se trata de renda variável, na qual não há como saber qual será o retorno. E é justamente esta incerteza que faz com que o ganhos sejam maiores do que a renda fixa, ouro e dollar no longo prazo.

O grande trunfo está em saber lidar com esse universo e a melhor forma é por meio da informação correta, de fontes confiáveis e isentas. É muito importante que, se o investidor tem interesse em entrar nesse meio, ele invista em seu conhecimento primeiro antes de aplicar o seu dinheiro. Entretanto, apenas o conhecimento não é suficiente. É preciso por a mão na massa e iniciar o quanto antes pois a prática leva à experiência, não o contrário.

Procurar por cursos para melhorar sua percepção sobre o mercado, principalmente, por locais de ensino reconhecidos e que possam realmente trazer um retorno satisfatório quando o assunto é conhecimento, é fundamental.

Bem, deu para entender o que é preciso para escolher as melhores ações para a sua carteira, não é? Está interessado em fazer um curso e melhorar a sua percepção sobre assuntos econômicos? Que tal dar uma olhada no que nós oferecemos? Temos cursos para finanças pessoais, finanças de consultórios, investimento no exterior e muitos outros! Não deixe de conferir!

Tags:

Trackback do seu site.

Comentários (2)

  • Avatar

    Nerivaldo

    |

    Ola gostei desse artigo acho ele muito relevante e me ajudou muito, e vou ver outros artigos.obrigado.

    Reply

    • Avatar

      Alexandre Rosa

      |

      Olá Nerivaldo. Primeiramente obrigado pelos seus comentários. Conte conosco. Acesse também nosso canal no youtube: Saúde mais ação. Deixe seus comentários e sugestões que responderemos com vídeos. Caso queira saber mais sobre algum outro assunto, coloque aqui que escreveremos. Abs. Dr. Francinaldo CEO da Saúde mais Ação.

      Reply

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos, para médicos