Blog
  • Blog
  • Como vai a saúde financeira do seu consultório?

Como vai a saúde financeira do seu consultório?

Como vai a saúde financeira do seu consultório?

Tão importante quanto cuidar das finanças pessoais, é cuidar da saúde financeira do consultório. Por uma razão muito simples: é de lá que vem renda. Houve uma época em que o profissional da saúde preocupava-se apenas em exercer a sua função da melhor forma possível para ter sucesso profissional. Só que a concorrência aumentou e os lucros diminuíram. Surgiram as operadoras de saúde, o paciente particular praticamente desapareceu e o consumidor passou a ter seus direitos regulamentados.

Com esses acontecimentos, os médicos, dentistas, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros, além de terem que exercer suas atividades com excelência, dedicação e amor, se veem agora também no papel de empresários.

Os consultórios transformaram-se em empresas de saúde com fins lucrativos, que devem observar as leis trabalhistas (CLT) e as convenções coletivas dos respectivos sindicatos. Como as disciplinas de finanças e gestão não fazem parte do currículo, muitos profissionais da saúde não têm conhecimento sobre o controle das finanças do consultório e, diante de uma economia tão inconstante, a gestão financeira adequada tem se mostrado essencial para que sobrevivam diante de uma concorrência tão acirrada.

Como organizar as finanças de sua clínica?

Pensando na importância que uma gestão adequada pode trazer para uma empresa, nesse caso, um consultório, nós resolvemos separar alguns passos de como é possível organizar as finanças. Entenda!

Crie um planejamento

O planejamento é importante, principalmente quando tratamos do financeiro, pois é ele que auxiliará a empresa a atingir os seus objetivos. Ele não deve ser encarado como um plano simples: fazê-lo é criar uma orientação para conduzir o negócio da melhor forma.

Por isso, ao criá-lo, é preciso pensar além. Esse tipo de ação deve ser elaborada para resultados de médio a longo prazo, com a noção de que será necessário revisá-lo, já que, por abranger um grande período, precisa sempre estar atualizado.

Elabore e analise os cenários possíveis

Para essa etapa, é importante que a clínica conheça bem a suas finanças, porque é a partir dela que será possível projetar cenários futuros. Nesse processo, a gestão terá que pensar não só nos possíveis ganhos, como também nas despesas.

Tudo isso deve ser feito por meio de uma avaliação do quanto a clínica já cresceu, o quanto o consultório tem para lidar com os custos para impulsionar o crescimento ou uma possível queda nos rendimentos. Durante essas projeções, é preciso ser realista: haverá períodos de férias, 13º salário, entre outras situações. Isso precisa ser considerado na hora de elaborá-las.

Organize o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta essencial para qualquer tipo de empresa, e é de grande ajuda para a gestão financeira. Em termos gerais, ele é o detalhamento de todas as operações financeiras que acontecem no empreendimento. Tudo aquilo que é adquirido e também o que se gasta durante um determinado período deve fazer parte do fluxo do caixa.

É importante deixar claro que todos os valores das transações devem ser registrados, desde os menos relevantes até os grandes. A compra de um jogo de canetas e a compra de um grande equipamento não devem fazer diferença na hora do registro.

Dessa forma, é possível ter uma projeção das contas e resultados da clínica e, assim, a gestão consegue saber o que pode cortar e o que precisa melhorar.

Verifique os impostos

Tributos são uma parte realmente importante de qualquer empresa e devem ser analisados com muito cuidado, já que as consequências podem ser bastante perigosas. No caso de clínicas voltadas para saúde, deve-se levar em conta o tempo de formação do médico.

Por exemplo, recém-formados que estão no seu primeiro consultório precisam ter atenção com as normas que esse tipo de situação emprega. Multas e juros são consequências que ninguém quer ter em sua empresa. Por isso, estudar o assunto é necessário.

Primeiro, cada tipo de consultório: seja ele uma empresa individual ou de responsabilidade limitada, sociedade limitada ou simples, deverá lidar com um determinado tipo de imposto, principalmente quando se avalia a quantia do faturamento.

É necessário ter cuidado na hora de se identificar em qualquer um desses enquadramentos para não cometer um erro e só descobrir quando receber alguma notificação fiscal.

Busque melhorar o seu conhecimento

Particularmente, quando o assunto é planejamento financeiro é necessário que a gestão da clínica esteja atualizada. Mesmo para uma pessoa que tem bastante experiência no negócio e até conhece os comportamentos, surpresas com a complexidade de certos assuntos do mercado podem ocorrer. Ainda mais hoje em dia em que as transformações são constantes.

Por isso, procurar por conteúdos que ajudem a aperfeiçoar a gestão financeira é a melhor estratégia. Se atualizar perante esse assunto é uma forma de garantir longevidade à empresa e lidar melhor com as mudanças do mercado.

4 vantagens de ter uma organização efetiva na sua empresa

Bem, existem diversas vantagens em investir na organização da sua clínica. Eis, aqui, quatro delas para você não descuidar da saúde do seu consultório:

1. Melhora os resultados financeiros

O consultório é uma empresa e tem funcionários, equipamentos e a obrigação de pagar tributos. Como toda empresa, o objetivo principal é obter lucro para financiar suas atividades. Portanto, uma boa gestão otimizará o uso dos recursos e, assim, culminar em melhores rendimentos.

2. Ganhos sem comprometer a qualidade de vida

É comum pensar que, para obter lucros maiores, é preciso trabalhar mais, dormir menos e abdicar dos momentos de lazer com a família. Uma boa gestão financeira no consultório permitirá um melhor aproveitamento dos recursos já existentes e, portanto, a obtenção de lucros maiores, mantendo ou, até mesmo, melhorando a qualidade de vida.

3. Crescimento profissional

Com uma boa gestão financeira, é possível ganhar tempo e utilizá-lo para o crescimento profissional: realizar cursos, pós-graduação, aprendizado de novas técnicas e marketing. Com o crescimento profissional, será possível buscar remuneração diferenciada e, assim, aumentar o retorno sobre as atividades.

4. Competitividade

Diante de concorrência cada vez mais acirrada, é preciso manter-se competitivo no mercado de trabalho e tornar-se autossustentável ao longo do tempo para usufruir do patrimônio no futuro. Com uma boa gestão financeira, é possível manter a competitividade e a sustentabilidade mesmo em períodos economicamente desfavoráveis.

Bem, temos certeza que, com este conteúdo, ficou bastante clara a importância de cuidar da saúde financeira e como a organização pode ajudar nas finanças no consultório.

Quer continuar aprendendo mais sobre a gestão do seu negócio? Então acesse agora o nosso texto sobre como controlar o fluxo de caixa!

Posts relacionados

Tags:,

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos, para médicos