Blog
  • Blog
  • Controlar o orçamento: 8 dicas essenciais para o dinheiro render

Controlar o orçamento: 8 dicas essenciais para o dinheiro render

Controlar o orçamento: 8 dicas essenciais para o dinheiro render

Sejamos sinceros, é bem difícil raciocinar quando o assunto é dinheiro — ainda mais se o objetivo é controlar o orçamento. Infelizmente, os maus hábitos são mais atrativos por trazerem uma satisfação rápida, mesmo que a conta chegue depois.

Quando isso acontece, o que dá para fazer é se preparar para sempre passar aperto, ter muitas dívidas e, no final do mês, nunca sobrar dinheiro. Ninguém quer passar a vida assim, não é? Por isso, é importante desenvolver o controle financeiro para obter tranquilidade e liberdade em relação ao seu futuro.

Para ajudá-lo a controlar melhor o seu orçamento, nós vamos apresentar neste texto algumas dicas de como cuidar do seu dinheiro. Confira!

Entenda o conceito de controle financeiro

Antes de passarmos as principais dicas sobre o assunto, é importante explicar bem qual é o conceito de controle financeiro. Ele é o conjunto de hábitos que visam organizar e monitorar tanto as receitas como as despesas do indivíduo. O controle pode ser tanto mensal quanto anual e precisa de disciplina para ser eficiente.

Não basta apenas conter os gastos, é preciso realmente ter uma gestão adequada dos valores recebidos e gastos mensalmente. Isso permite uma análise mais acertada e cabível em sua realidade.

Veja 8 formas de controlar o orçamento 

Agora que entendemos um pouco mais sobre esse assunto, vamos acompanhar algumas dicas.

1. Quite suas dívidas

Não é incomum que quem é descontrolado em relação ao seu dinheiro acabe com histórico de dívidas. Se esse é o seu caso e você está procurando mudar a forma que lida com o que ganha, agora é momento de resolver seu débitos.

Procure conversar com os seus credores e explique que quer quitar suas dívidas. Lembre-se de que ele é o mais interessado, então, estará disposto a ajudar se você apresentar uma solução. Outra questão é: não feche nenhum acordo se não for favorável para você. Caso parcele, fique atento para que o gasto não ultrapasse 30% de sua renda.

Caso não consiga quitar as dívidas, poderá renegocia-la e, com isso, baratear o custo dela. Algumas vezes pode-se também transferir a dívida para outra instituição financeira que cobra taxas mais baixas. Assim, troca-se uma dívida cara por outra mais barata.

2. Conheça as suas despesas e seus rendimentos

É impossível aplicar estratégias de controle financeiro se você nem sabe o quanto ganha ou o gasta. Por isso, é hora de pegar papel e caneta, ou uma planilha, e começar a anotar. Inicie primeiro pelo seu rendimento e anote o valor de seus ganhos. Não esqueça de que é a quantia líquida, já descontando os tributos, vales e outros benefícios.

Depois, comece a registrar os seus gastos, começando pelos essenciais como aluguel, luz, água, internet, entre outros. Após isso, estabeleça o hábito de anotar os superficiais, aquelas compras que acontecem esporadicamente. O salgadinho que você comprou antes de ir trabalhar, o café que pediu a tarde etc.

3. Adequação dos gastos

Quando você passar a anotar todas as entradas e saídas de sua vida financeira, verá como realmente gasta o dinheiro. Isso será uma informação importante, pois mostrará o que precisa ser mudado em seus hábitos de compras.

Agora você terá um guia para saber o que precisa ou não ser cortado. Os gastos que são desnecessários e que até parecem supérfluos, mas que, no final do mês, formam uma grande quantia.

Existem formas de consumir pagando menos tais como clubes de viagens, compras online, compras em atacadões, permuta de serviços e compras coletivas, dentre outros. Colocar em prática estas medidas permitirá fazer tudo aquilo que se gosta pagando menos.

Quer saber como está o seu planejamento financeiros? Acesse o site www.saudeinvestimentos.com.br e clique na aba Planejamento Financeiro. Após marcar as alternativas, cliquem em atualizar e você verá seu desempenho.

4. Faça uma reserva para emergências

Esse é um hábito fundamental para se manter. Quando começar a ter mais controle de suas finanças, é chegada a hora de poupar. Você não precisa pensar em uma quantia muito alta. Separar 10% ou 15% da sua renda mensal já é uma ótima forma de começar. O ideal é acumular o montante suficiente para pagar as contas por até 12 meses. Isso dará tranquilidade para suportar os eventos desfavoráveis que podem vir a ocorrer com todos nós.

Depois que juntar um determinado valor, você pode começar a investir para fazer com que esse dinheiro renda mais. Contudo, destacamos que é importante procurar auxílio profissional para auxiliar você na escolha. Uma mentoria, ajudará você a desenvolver uma estratégia de enriquecimento e a colocar em prática o aprendizado.

Quer saber como está o sua reserva de emergência? Acesse o site www.saudeinvestimentos.com.br e clique na aba Reserva de Segurança. Após marcar as alternativas, cliquem em atualizar e você verá seu desempenho.

5. Tenha objetivos financeiros

Não dá para ter um controle efetivo sem planejamento. É importante estabelecer os seus passos justamente para evitar ficar perdido. Por isso, destacamos a importância de definir quais são suas metas quando o assunto é finanças. O que você pretende estabelecendo o controle financeiro?

Procure definir objetivos de curto, médio e longo prazo e sempre faça revisões para saber se está no caminho certo.

Quer saber como estabelecer seus objetivos financeiros? Acesse o site www.saudeinvestimentos.com.br e clique na aba Meu Planejamento. Após preencher os campos, clique em atualizar e você verá o objetivo a ser atingido e poderá fazer ajustes se for o caso.

6. Antecipe os pagamentos

Pagar suas contas antes do vencimento pode ajudar você em dois aspectos. Primeiro, para que não acumule dívidas e, segundo, evita que tenha que pagar mais, por causa dos juros e multas. Então, antecipar suas despesas sempre que for possível é uma maneira inteligente de se manter no controle.

Uma dica é procurar quais credores oferecem descontos em caso de antecipação do pagamento. Isso pode auxiliar a ter uma renda extra, e quem sabe investir o que sobra.

7. Evite gastar mais do que ganha

Se por um lado o fácil acesso aos cartões e empréstimos trouxeram uma maior chance de crédito, por outro, deram a chance fazer gastos além do dinheiro que realmente se tem, incentivando o aumento de dívidas.

Por isso, evitar utilizar esses meios, principalmente o cartão de crédito, é fundamental para o controle. Tente não gastar acima do seu orçamento mesmo que tenha como conseguir crédito. Uma boa maneira de monitorar seu comportamento é, ao menos, deixar que 10% da sua renda sobre no fim do mês.

8. Não tenha mais cartão de crédito

Como falamos no tópico anterior, o cartão de crédito pode ser uma ótima forma de gastar dinheiro que ainda não temos — e é exatamente esse o problema.

É muito fácil se complicar, parcelando cada vez mais a fatura e, no fim, entrar em uma bola de neve. Sendo assim, se for possível, evite tê-lo e fique apenas com o cartão de débito. Caso não seja possível, tenha apenas um e só utilize em emergências.

Chegamos ao final de nossas dicas sobre como você pode controlar o seu orçamento. Deixamos claro a importância de se estar a par de todos os seus gastos e, também, de conhecer bem os seus rendimentos. Caso receba algum dinheiro extra periodicamente, seja de investimentos ou de outras fontes, não esqueça de anotá-los.

Além disso, procure evitar comportamentos que potencializem o desperdício de dinheiro, como gastar mais do que ganha ou utilizar o cartão de crédito sem controle.

Temos certeza de que com as dicas sobre de como controlar o orçamento que mostramos aqui, você já pode começar a administrar melhor o seu. Gostou do nosso post? Então, não deixe de compartilhá-lo com os seus amigos em suas redes sociais.

Seja um parceiro

Trackback do seu site.

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos para médicos