Blog
  • Blog
  • Como declarar os investimentos financeiros no imposto de renda?

Como declarar os investimentos financeiros no imposto de renda?

Como declarar os investimentos financeiros no imposto de renda?

Você sabe como declarar investimentos financeiros? Trata-se de um procedimento burocrático, mas é necessário para estar em dia com as obrigações da Receita Federal. Não é novidade que o fisco tem aprimorado cada vez mais a fiscalização e, por isso, quem tiver alguma irregularidade pode cair na malha fina e ter várias dores de cabeça, o que ninguém deseja, não é mesmo?

Se está com dúvidas em relação ao assunto, continue lendo o post. Neste artigo explicaremos quais são os investidores que precisam fazer a declaração de Imposto de Renda e o que necessita ser declarado de acordo com cada tipo de aplicação financeira. Confira!

Quais são os investidores que precisam declarar o Imposto de Renda?

As pessoas que têm aplicações financeiras na bolsa de valores e contam com elevado patrimônio precisam fazer a declaração do tributo. Os investidores que se enquadrarem em uma dessas condições abaixo precisarão acertar as contas com o leão no próximo ano. Os critérios são estes:
  • recebeu rendimentos tributáveis como aluguéis ou salários acima de R$28.559,70 neste ano;
  • apresenta ganhos mensais acima de R$1.903,99;
  • apresentar renda rural bruta superior a R$142.798,50;
  • recebeu investimentos isentos ou tributados diretamente na fonte acima de R$ 40.000,00. Alguns exemplos desses recebimentos são o seguro-desemprego, Tesouro Direto, poupança e indenizações trabalhistas;
  • pessoas que realizaram operações na bolsa de valores, em mercado futuro ou em commodities;
  • investidor que tem patrimônio (isso inclui investimentos financeiros, veículos, terrenos, imóveis etc.) com valor superior a R$ 300.000,00.

Vale destacar que o prazo para fazer a declaração do Imposto de Renda (IR) se iniciará no mês de março do próximo ano e se encerrará no dia 28 de abril de 2019.

O que precisa ser declarado em cada investimento?

As aplicações financeiras têm algumas características distintas entre si e, por isso, a declaração delas também varia. Dessa forma, na sequência do post, abordaremos como declarar investimentos de renda fixa e renda variável. Continue lendo!

Renda fixa

Nas aplicações que se enquadram nessa modalidade, você precisa informar o tipo de produto que adquiriu (se foi, por exemplo, poupança, Tesouro Direto etc.), o nome e o CNPJ da instituição financeira (pode ser um banco ou uma corretora) onde o investimento foi realizado, a quantia investida em um ativo e o saldo do investimento em 31/12/2018.

PGBL

Vale destacar, ainda, que o procedimento descrito anteriormente também é válido para os planos de previdência do tipo PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre). A única diferença nesse plano é que a Receita deduzirá 12% sobre os rendimentos tributáveis. Caso tenha, por exemplo, R$10.000,00 no PGBL, você pagará imposto sobre R$8.800,00. Portanto, a pessoa paga menos IR.

Renda variável

Mesmo se não encaixar nas condições anteriores, caso tenha algum investimento desse tipo, você será obrigado a declarar o Imposto de Renda. Nesse caso será preciso apresentar o informe de rendimentos. Esse documento pode ser obtido junto à sua instituição financeira.

Sobre as aplicações em renda variável, se a sua posse de ações de uma companhia for acima de R$ 1.000,00, ela precisa ser declarada. Além disso, todas as atividades de compra e venda de ativos, os seus ganhos e prejuízos e os rendimentos gerados precisam ser informados.

É muito importante ter atenção em relação às regras sobre a declaração de investimentos financeiros no Imposto de Renda, para não ter dores de cabeça futuramente. Vale a pena, também, saber as regras de declaração dos ativos e, assim, fazer o procedimento de maneira correta.

Agora que já sabe como declarar investimentos, confira este artigo sobre o planejamento financeiro. Ele ajudará você a estabelecer prioridades na sua vida e a escolher as aplicações financeiras com segurança.

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos, para médicos