Blog
  • Blog
  • Saiba como desenvolver inteligência financeira com 4 dicas

Saiba como desenvolver inteligência financeira com 4 dicas

Saiba como desenvolver inteligência financeira com 4 dicas

O conceito de inteligência financeira gira em torno da sabedoria e do domínio em lidar com os recursos financeiros que se ganha, bem como com o quanto se gasta. Afinal, o dinheiro não pode ditar as regras em sua vida. Ao contrário, você é quem precisa mandar nele.

Engana-se quem pensa que isso é coisa apenas para ricos. Desenvolver a inteligência financeira é fundamental para qualquer pessoa que queira ter sucesso com suas finanças.

Por isso, listamos 4 dicas para que você consiga desenvolver sua inteligência financeira. Confira!

1. Acompanhe seu patrimônio líquido

A ideia de gastar menos do que se ganha é simples, mas nem por isso deixa de ser desafiadora para muitas pessoas. Ao se deparar com as contas que não fecham, muitos acabam ficando estressados, com uma dor de cabeça enorme.

Isso costuma tirar seu sono, pois mês após mês, no lugar de ficar mais rico, você fica cada vez mais pobre. O dinheiro que sai do seu bolso vai todo para produzir a riqueza de outras pessoas, e a frustração de trabalhar diariamente e não conseguir juntar nada é desanimadora.

Para enriquecer é preciso aumentar seu patrimônio líquido. O patrimônio líquido (PL) é a verdadeira medida da riqueza de uma pessoa. Para entender o patrimônio líquido, primeiramente é preciso entender o que é ativo e passivo. Ativo é todo bem ou direito que traz ganho ou lucro. São exemplos de ativo uma carteira de investimentos (renda fixa, ações e fundos imobiliários), sua profissão, imóveis alugados, um negócio próprio e sua rede de contatos. Em suma, o ativo significa quanto você tem.

O passivo é todo bem ou obrigação que traz gasto ou prejuízo. São exemplos de passivo as dívidas (cheque especial, cartão de crédito, empréstimo, contas a pagar), automóvel de uso pessoal, casa própria e o custo de oportunidade (por exemplo, deixar dinheiro parado na conta corrente ou mesmo quitar uma dívida cujo custo seja menor do que rendimento de sua carteira de investimentos). O passivo informa quanto você deve.

Subtraindo-se o passivo do ativo (isto é, o quanto se tem menos o quanto se deve), tem-se o patrimônio líquido que é a verdadeira medida da riqueza de uma pessoa. O PL mostra quanto vale o patrimônio de uma pessoa. Para aumentar o PL deve-se reduzir o passivo, aumentar o ativo ou, mais aconselhável, fazer ambos.

2. Tome cuidado com quantias pequenas

Depois de fazer uma lista com o seu ativo e passivo, procure fazer uma análise, com calma, a fim de entender como você gasta o seu dinheiro. Muitas vezes, é surpreendente a forma que os valores menores podem exercer uma grande influência nas suas finanças.

Pode acreditar: esses pequenos gastos do dia a dia costumam ser os culpados em tirar mais dinheiro do seu bolso do que você imagina, impedindo que você consiga poupar. Ao estudá-los, você vai compreender que os controles farão uma grande diferença no seu orçamento.

Veja este exemplo: caso você tenha o hábito de gastar R$7 todos os dias com um café e um pão na chapa, isso representa R$49 semanais, R$210 por mês, R$2.520 todos os anos e, ao longo de 5 anos, serão R$12.600 gastos em café e pão na chapa!

Se você escolher investir esse dinheiro, no lugar de gastá-lo, terá rendimentos satisfatórios. Claro que não é preciso nenhum tipo de radicalismo para economizar. Nossa intenção aqui é apenas levantar uma bandeira amarela, para que você esteja atento aos gastos que parecem ser inofensivos, mas não são.

Esse é um dos conceitos básicos para o desenvolvimento da inteligência financeira.

3. Controle os impulsos

Como foi dito acima, não dá para ser radical e abrir mão de todos os pequenos prazeres da vida. Mas, para ser inteligente financeiramente, a cada compra que você fizer, procure refletir e se questionar se você realmente precisa daquele produto ou serviço que adquiriu.

Uma dica para evitar comprar mais do que você deveria é fazer uma lista. Sempre que você identificar uma necessidade de compra, anote o item nessa lista. Essa atitude, além de te ajudar a lembrar do que você precisa, também auxiliará no controle de possíveis impulsos de consumo.

Mas, para isso, é importante que você siga uma regra de ouro: só vale comprar o que constar na lista. Qualquer coisa que estiver fora dela, não compre!

Outra orientação útil para controlar os impulsos é elaborar a lista e tomar decisões somente quando você estiver em casa. Afinal de contas, as lojas e os shoppings tem muitas armadilhas com o intuito de fazê-lo consumir. Sabe quando você está com fome e vai fazer compras no supermercado? Então, é a mesma coisa! Portanto, todo cuidado é pouco para não cair em tentação.

Controlar os impulsos também está relacionado ao fato de evitar realizar compras de coisas que você não precisa, que só irão gerar dívidas, com o intuito de impressionar pessoas que não tem a mínima importância, tentando ser alguém que você não é.

Nada mais saudável para sua vida financeira (e para a sua mente!) do que viver dentro da realidade do seu padrão de vida. Só assim você evitará passar por apuros desnecessários com juros e dívidas.

4. Invista uma parte

Agora que você já consegue acompanhar suas despesas e receitas, tomar cuidado com os pequenos gastos e controlar seus impulsos, provavelmente será iniciado o período em que você verá sobrar dinheiro na sua conta ao final do mês.

Ao atingir esse equilíbrio financeiro, está na hora que começar a pensar a fazer parte do mundo dos investimentos. Existem opções de fácil acesso e ótima rentabilidade no mercado financeiro. Se você investir com inteligência, sua prosperidade financeira estará cada vez mais próxima.

Para quem quer alcançar a tão sonhada independência financeira, a principal dica é reinvestir os lucros das suas aplicações. Assim, os juros compostos irão agir a seu favor, sendo o componente principal para o acúmulo da sua riqueza.

É importante que você crie metas para atingir seus objetivos (Baixe o app Saúde Investimentos, faça seu cadastro e preencha a aba Meu Planejamento). Essas metas são fundamentais para que os resultados sejam transformados em números, permitindo que você veja se seus planos estão como você espera ou não.

Aliás, não se esqueça de elaborar um planejamento. Ele será o seu guia, para que você verifique, de tempos em tempos, como está indo. Trata-se de algo simples e fácil de ser feito. A dificuldade da maioria das pessoas está em botá-lo em prática.

Pense nos seus objetivos e tenha-os como motivação para seguir seus planos!

Neste post, explicamos para você que inteligência financeira não é uma habilidade apenas para pessoas ricas. Afinal, se você sonha com a sua liberdade financeira, é preciso saber desenvolver essa capacidade. Para isso, o controle, o acompanhamento, o gasto consciente e um bom portfólio de investimentos são imprescindíveis.

Qual a sua dica para ser inteligente financeiramente? Deixe seu comentário aqui no post!

Trackback do seu site.

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos, para médicos