Blog
  • Blog
  • Você sabe o que é aluguel de ações? Entenda do que se trata!

Você sabe o que é aluguel de ações? Entenda do que se trata!

Você sabe o que é aluguel de ações? Entenda do que se trata!

Na época em que vivemos, é comum as pessoas compartilharem coisas como carros e casas. O mercado financeiro também está inserido nesse contexto, com o aluguel de ações — que pode ser uma ótima maneira de ganhar uma renda extra.

Uma pessoa que não está usando o seu automóvel, que tem uma vaga na garagem não utilizada ou um quarto de sua casa vazio, por exemplo, pode lucrar com o aluguel desses bens. O mesmo ocorre com as ações, que podem ser alugadas de ou para uma pessoa.

Neste post, entenda qual é a dinâmica desse tipo de operação e quando é vantajoso optar pelo aluguel de ações. Continue a leitura e confira!

O que é o aluguel de ações?

Antes de mais nada, é importante frisar que alugar ações é uma transação totalmente segura, transparente e legalizada. A intermediação fica por parte da própria Bolsa de Valores, portanto, os investidores não se relacionam diretamente um com o outro.

É como se, ao invés de comprar ações, você adquirisse um imóvel como investimento, com o intuito de esperar algum tempo para que ele se valorize. Durante esse período de espera, provavelmente, anunciaria o seu apartamento ou a sua casa para alugar, certo?

Dessa maneira, aumentaria a sua rentabilidade, obtendo ganhos tanto com a valorização a longo prazo, como também com o aluguel mensal desse ativo.

O processo é o mesmo no mercado de ações. Quando um investidor opta por uma estratégia de longo prazo, enquanto ele espera a concretização do seu planejamento, busca alugar suas ações de modo a obter lucro.

Ou seja, as ações podem ser locadas, e cabe ao seu dono decidir o valor que ele deseja receber por esse aluguel e o prazo da locação do ativo.

A questão do preço também funciona como no mercado imobiliário: se você pedir muito caro, é provável que elas não encontrem alguém que esteja disposto a alugá-las.

Caso você seja um investidor fundamentalista, isto é, que tem uma visão de sócio da companhia, é muito importante aderir à operação de aluguel de ações. Assim, não fica com dinheiro parado, fazendo sempre com que seus recursos trabalhem para você.

Tenha em mente que comprar ações a longo prazo, e não as alugar, é o mesmo que escolher perder dinheiro. Durante todo o tempo em que ficam alugadas, o investidor que as detém continua com todos os direitos sobre elas, incluindo os dividendos.

Apesar disso, ele está locando a possibilidade de uma transação de curto prazo ser feita com as suas ações. Trata-se de uma operação completamente livre de riscos, visto que a Bolsa de Valores é a sua contraparte nesse negócio, como já mencionamos.

Frequentemente, os traders altamente capacitados — com larga experiência na operação do mercado financeiro e conhecimentos aprofundados em análises gráficas — são os players que buscam alugar ações de outros investidores, com o objetivo de fazer especulação no curto prazo.

Seja um parceiro

Como o aluguel funciona?

Grande parte das corretoras já disponibiliza uma opção para o proprietário das ações poder alugá-las. Assim, uma vez autorizado o aluguel, as ações ficam disponíveis e serão alugadas caso apareça uma pessoa interessada. O percentual recebido pelo aluguel dependerá da oferta e da procura no mercado.

Daremos um exemplo prático, para que você entenda como funciona o aluguel de ações.

Vamos supor que você identificou que as ações do Banco do Brasil alcançarão R$ 20. Sendo assim, faz a aquisição desses papéis por R$ 15, segue a estratégia de esperar o valor subir e, quando isso acontecer, vende suas ações, embolsando uma boa rentabilidade.

Apesar disso, a tendência desse ativo no curto prazo é de baixa — e você também quer fazer dinheiro com essa previsão. Nesse caso, o tomador de ações procura o aluguel desses papéis.

Um investidor faz o aluguel das suas ações, que estão valendo R$ 15, e vende esses papéis pelos mesmos R$ 15. Digamos que a previsão de queda no preço do ativo se concretize e as ações passem a valer R$ 10.

Nesse momento, o investidor recompra as ações que vendeu no mercado pelo valor de R$ 10, lucrando R$5 nessa operação. Por fim, ele faz a devolução das ações que alugou de você, pagando uma taxa por esse aluguel.

Vale ressaltar que esse tipo de transação de curto prazo é indicado para investidores que têm experiência e profundo conhecimento do mercado de capitais. Por isso, se você for iniciante no mundo dos investimentos, a melhor opção é fazer aplicações com movimentos de longo prazo e alugar suas ações para os traders capacitados.

Quando é vantajoso alugar ações?

O aluguel de ações pode ser uma operação vantajosa tanto para quem disponibiliza o ativo como para quem aluga os papeis, porque possibilita que ambas as partes realizem os objetivos traçados em suas estratégias de investimento na Bolsa.

Conheça, abaixo, quais são as principais vantagens desse tipo de operação.

Para o doador

O dono das ações é considerado o maior beneficiado quando um contrato de aluguel é firmado, pois ele receberá a quantia referente, incrementando a rentabilidade do seu portfólio de investimentos.

Caso o seu posicionamento seja apostar no longo prazo, alugar suas ações pode representar uma boa forma de aumentar os lucros, mantendo a carteira por mais tempo. Além do mais, os benefícios pagos por esses ativos continuam sendo creditados na sua conta. Ou seja, você terá duas maneiras de rentabilizar esses papéis.

Para o tomador

Agora, vamos abordar o lado de quem procura ações para alugar. Esse investidor tem a possibilidade de conseguir obter lucro na bolsa de valores por meio da venda com preço mais alto e da compra com uma cotação mais baixa, como mostramos no exemplo anteriormente.

Essa transação leva o nome de “venda a descoberto”. Os players que mais fazem uso dela são os especuladores.

Mais um benefício para o tomador é usar o aluguel das ações na estratégia “long and short”. Isso equivale à transação de dois ativos: um deles é o “long”, quando se espera o ativo comprado valorizar; e o outro é o “short”, quando o lado vendido e o ativo alugado têm expectativa de queda. O lucro da operação é proveniente da diferença entre as duas cotações.

Neste post, você viu como funciona a operação de aluguel de ações, que pode ser uma ótima maneira de otimizar os rendimentos da sua carteira de investimentos. Mas, ressaltamos que, como em qualquer outra aplicação no mercado financeiro, é preciso escolher os ativos que estejam de acordo com o seu grau de tolerância a riscos.

Gostou deste post? Então, aproveite e descubra o perfil de investidor que mais combina com você!

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos para médicos