Blog
  • Blog
  • 4 erros imperdoáveis para evitar na declaração de imposto de renda

4 erros imperdoáveis para evitar na declaração de imposto de renda

4 erros imperdoáveis para evitar na declaração de imposto de renda

No início do ano é hora de pensar sobre a sua declaração do Imposto de Renda. Apesar de ser um processo anual, é comum surgirem muitas dúvidas sobre o assunto. O melhor a fazer é esclarecê-las antes de submeter suas informações ao Fisco, já que erros na declaração do imposto de renda podem fazer com que você caia na malha fina da Receita Federal.

Por essa razão, reunimos os 5 itens que costumam confundir a cabeça dos contribuintes. Leia este post com atenção e saiba como preencher seus rendimentos tributáveis, os abatimentos de despesas médicas, renda dos seus dependentes, a declaração de investimentos isentos e valores de bens. Vamos lá!

1. Errar na ficha de rendimentos tributáveis

Os dados relativos aos seus rendimentos tributáveis precisam estar corretos e completos. A falta de informações faz com que a RF não consiga realizar o cruzamento delas, para averiguar se o que foi declarado está certo. Um dos problemas mais frequentes é não preencher ou preencher incorretamente o CNPJ de cada uma das fontes pagadoras na parte certa do sistema.

Se a Receita Federal chegar à conclusão de que precisa de comprovações de itens declarados, você pode cair na malha fina para complementar as informações. Portanto, revise sempre sua ficha de rendimentos tributáveis.

2. Abater despesas médicas não dedutíveis

Não há limite para abatimento de despesas médicas na declaração do IR, mas tenha cuidado para não aumentar o valor dos gastos. Isso porque a RF conta com um controle bastante eficiente para conferir se a quantia declarada pelo contribuinte é a mesma que o profissional de saúde tem no seu registro.

Fique atento também quando for lançar qualquer gasto médico dos seus dependentes, para não inserir pessoas que não se enquadram nesse perfil. Dedução de desembolsos com remédios só podem ser colocados quando estiverem na nota fiscal do hospital.

3. Omitir renda do dependente

A dedução das contas dos seus dependentes só serão aceitas se você declarar o nome completo e, para maiores de 12 anos, o CPF. Além disso, também é obrigatório dizer se eles têm algum tipo de renda, como bolsa ou pensão, pois isso é considerado como se fosse um salário.

4. Não declarar investimentos isentos

A maioria dos investidores sabe que precisa informar suas aplicações financeiras no IR. Só que muita gente se engana quando pensa que apenas ativos tributáveis devem estar na declaração do imposto de renda, como o Tesouro Direto ou transações com ações.

Na verdade, até o dinheiro investido em papéis isentos devem constar no IR. Então, quem tem qualquer quantia na poupança, em Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) ou outro investimento com isenção de IR precisa comunicar isso ao fisco.

Alguns dos principais erros na declaração do imposto de renda podem até parecer muito óbvios, mas vários contribuintes ainda cometem esses enganos. Diante disso, nossa última dica é que você não deixe a sua declaração do IR para última hora. Afinal de contas, a pressa é inimiga da perfeição.

Que tal ajudar seus amigos a realizarem o IR corretamente? Compartilhe este post nas suas redes sociais!

 Inteligência financeira para enriquecer com saúde
Avatar

Alexandre Rosa

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutorado em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Especialista em doenças da retina e vítreo pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Pará.

Deixe um comentário

 

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos para médicos