Blog
  • Blog
  • Não sabe como investir no exterior? Confira!

Não sabe como investir no exterior? Confira!

Não sabe como investir no exterior? Confira!

Devido às características da nossa economia, o brasileiro ganha em Real mas gasta em Dollar. Por essa razão, fazer investimentos fora do Brasil proporciona diversos benefícios, como segurança, solidez, possibilidades de diversificação, proteção cambial entre outros. Para você ter uma ideia, o mercado de capitais dos Estados Unidos é quase 50 vezes maior que o nosso. Por essa razão, a liquidez é também maior. Mas, você sabe como investir no exterior?

Esse não é um conceito muito novo, mas tem ganhado destaque nos últimos anos. Isso porque antes somente quem tinha muito dinheiro podia investir fora do Brasil. A ideia de investir no exterior não é muito nova. No entanto, ela só ganhou destaque nos últimos anos. As taxas eram altas, e a tecnologia ainda não possibilitava a comodidade de fazer esse tipo de operação com poucos cliques.

Leia este post e veja as dicas que separamos para quem pretende começar a investir no exterior.

Tenha um planejamento bem-estruturado e focado

Para você que já está familiarizado com investimentos no Brasil e que já segue a estratégia Enriquecer Faz Bem à Saúde, fica bem mais fácil investir fora do Brasil, pois apenas algumas adaptações relacionadas à legislação e tributação são suficientes já que a estratégia em si não muda.

Você também pode contar com o auxílio de um profissional especializado e devidamente credenciado junto à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) pois ele conhece diversas estratégias e possui a vivência necessária no mercado financeiro internacional. Ele sabe quais são os riscos envolvidos em cada investimento, para te orientar quanto à melhor forma de aplicar seus recursos, inclusive no que tange ao momento ideal de apostar em papéis estrangeiros.

Portanto, para você ter um planejamento bem-estruturado e focado nos seus objetivos, converse com um profissional experiente. Ele saberá como buscar o equilíbrio entre risco e rentabilidade.

Tem mais: quando você tem um gestor financeiro, não precisa cumprir a exigência de ser um investidor qualificado. Ou seja, é possível fazer investimentos menores do que um milhão de reais.

Mapeie os países em que pretende investir

Mesmo que você seja um grande conhecedor do mercado de capitais brasileiro, é preciso estar atento para o fato de que é imprescindível ter uma grande compreensão sobre o país ao qual você pretende destinar seus recursos, antes de efetivar a transação.

Os países que apresentam oportunidades de investimentos para brasileiros podem ser divididos em dois grupos:

  • os de economia desenvolvida – Estados Unidos, Austrália, Canadá, Japão e a maior parte dos países europeus;
  • os que estão em desenvolvimento – Uruguai, Chile e os BRICs (Rússia, Índia, China e África do Sul).

Por contarem com uma economia mais estabilizada, os dividendos, juros e debêntures dos países desenvolvidos apresentam menor rentabilidade e, consequentemente, mais segurança para investidores conservadores.

Já, para os que são mais arrojados, existem chances únicas no mercado internacional, como as empresas de tecnologia. Imagina quem apostou nas ações da Apple quando o iPhone foi lançado!

Conheça as principais opções de investimento

Veja quais são os tipos mais comuns de investimentos no exterior.

Fundos de ações que investem em ativos fora do Brasil

Quando você compra cotas desse tipo de fundo, o seu dinheiro é investido em ativos no exterior, de acordo com a carteira do fundo escolhido. O responsável por selecionar esses ativos é o gestor do fundo.

Ainda existem vários fundos de ações voltados apenas para investidores qualificados, mas dá para achar opções abertas para investidores com capital menor do que um milhão de reais. Se você é iniciante, o mais indicado é preferir fundos de ações que realizam aplicações em ativos financeiros internacionais em um patamar acima de 40% do patrimônio líquido.

Alguns fundos contam com aporte mínimo de mil reais, e suas taxas de administração oscilam entre 1,5 e 2,5% ao ano. Lembramos de que existem fundos que aplicam recursos em outros fundos de investimento, oferecendo uma quantia menor como requisito para aporte mínimo e uma taxa administrativa também mais baixa.

Fundos multimercado

Um fundo de investimento multimercado mescla seu portfólio entre vários ativos, como ações, câmbio, renda fixa, entre outros. Diversificar permite que o risco seja diluído, e a rentabilidade otimizada.

Essa é uma estratégia considerada mais sofisticada no mercado financeiro. Por essa razão, os fundos multimercados cobram taxas de administração mais altas, entre 2% e 3% em cima do investimento que você fizer.

Exchange Traded Fund (ETF)

Um Exchange Traded Fund, também conhecido como fundo índice ou ETF, é um tipo de fundo que foca no acompanhamento das taxas de retorno de certos índices de ações negociadas em grupo na bolsa de valores. Um exemplo é o Ibovespa.

No mercado doméstico, os ETFs são negociados como ações na B3. Isto é, seus valores podem apresentar variações. A taxa de administração dos fundos índices são bastante atrativas, pois a estratégia de alocação de recursos é passiva. A porcentagem é de 1% ao ano em cima da quantia aplicada.

Para investir fora do Brasil, você pode aplicar em um ETF que seja associado ao S&P 500, por exemplo, que é o índice que agrupa as ações das 500 principais companhias americanas. Esse ETF é denominado IVVB11. Houve um tempo em que ele era restringido apenas aos investidores qualificados, mas, atualmente, qualquer pessoa pode comprá-lo em uma corretora de valores.

Atente-se aos riscos

Todo investidor precisa saber que nenhuma aplicação financeira é isenta de riscos. E isso vale para investimentos feitos no Brasil e no exterior. Portanto, é fundamental que você esteja bem-informado a respeito dos papéis que são os mais adequados para sua estratégia.

Então, procure analisar todas as alternativas e guarde uma reserva emergencial para situações de imprevistos. E, como já mencionamos aqui, para ter mais segurança e acertos na sua carteira de investimentos, conte com um consultor especializado no ramo.

Observe as principais normas

Seja por desinformação ou por conta dos escândalos de corrupção envolvendo remessas de dinheiro ao exterior, muita gente ainda pensa que investir fora do país é ilegal. Mas isso está longe de ser verdade, pois a própria Constituição do Brasil assegura esse direito, dispondo que “ livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens”.

Logo, para investir em mercados internacionais, você precisa apenas respeitar as leis e normas do Banco Central, bem como a regulação cambial. Também é dever do investidor operar de acordo com a legislação do país que receberá seu dinheiro.

Se você aplicar todas as dicas lidas neste post, será muito mais fácil garantir o sucesso das suas aplicações financeiras fora do Brasil. Afinal de contas, agora você já tem informações valiosas sobre como investir no exterior.

Se você quer conquistar a sua independência financeira, entre em contato com a Saúde + Ação agora mesmo.

Seja um parceiro

Deixe um comentário

Um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a enriquecer com saúde

Feito por médicos para médicos